POR QUE CONTRATAR UM ARQUITETO

Por que contratar um arquiteto

POR QUE CONTRATAR UM ARQUITETO?

Vários são os motivos para con­tratar os serviços de um arquiteto:

  1. Indicar a mel­hor opção de com­pra de um ter­reno ou imóvel;
  2. Cri­ar o pro­je­to de con­strução da casa;
  1. Acom­pan­hará obra;
  1. Cri­ar pro­je­to de dec­o­ração do imóvel;

Muitas per­gun­tas e dúvi­das surgem em relação a este profis­sion­al, são elas:

- Será que vale a pena con­tratar um arquite­to ou eu mes­mo pos­so plane­jar min­ha obra?

- Será que o gas­to com o arquite­to é supérfluo?

- O que esse profis­sion­al pode real­mente faz­er para me ajudar?

O que geral­mente acon­tece, é que as pes­soas só se dão con­ta de como é impor­tante ter a ori­en­tação de um profis­sion­al espe­cial­iza­do quan­do a obra já está sendo exe­cu­ta­da e surgem os primeiros problemas.

Exis­tem profis­sion­ais que dão suporte do iní­cio ao fim da con­strução, crian­do o pro­je­to, admin­is­tran­do a obra, con­tratan­do operários e com­pran­do materiais.

Em muitos casos, o arquite­to tra­bal­ha em parce­ria com um engenheiro.

Há tam­bém profis­sion­ais e escritórios espe­cial­iza­dos ape­nas em plane­jar a dec­o­ração e o mobil­iário da casa. Por isso, é impor­tante definir qual profis­sion­al se encaixa mel­hor às suas necessidades.

Alguns exem­p­los práti­cos e reais em relação a importân­cia da con­tratação do arquite­to. Você não cor­rerá risco de:

- Bater a cabeça nos degraus da escada;

- Ter um inter­rup­tor atrás da porta;

- Uma caixa d’água sem pressão.

Algu­mas funções que cabem ao arquite­to e que livra o cliente de dores de cabeça:

- Definir o projeto;

- Dis­tribuir cor­re­ta­mente os espaços;

- Plane­jar a obra­no que diz respeito a ven­ti­lação e escol­ha dos mate­ri­ais adequados;

Como escol­her o profissional

Antes de fechar o con­tra­to, con­heça seu tra­bal­ho e seu port­fólio com os prin­ci­pais projetos.

Rela­cione tudo o que dese­ja que o profis­sion­al execute

Um bom diál­o­go com o arquite­to é impre­scindív­el para o anda­men­to do tra­bal­ho. Para que não haja fal­ha na comu­ni­cação, expon­ha seus dese­jos, hábitos e expectativas.

Dê refer­ên­cias do que você quer que seja exe­cu­ta­do, pesquisan­do em revis­tas e sites espe­cial­iza­dos em arquite­tu­ra e decoração.

Com essas infor­mações em mãos, ficará mais fácil o arquite­to plane­jar e exe­cu­tar o serviço de acor­do com seu desejo.

Mas lem­bre-se de que sua casa não dev­erá ser um mosaico de vários ambi­entes tira­dos de revis­tas e sites, ao con­trário, ela dev­erá ter sua “assi­natu­ra”.

O con­tra­to

Todos os serviços presta­dos pelo profis­sion­al devem estar dis­crim­i­na­dos, além dein­for­mações sobre o pro­je­to: do que ele tra­ta, com eta­pas, val­ores a serem cobra­dos pelos serviços, a for­ma de paga­men­to e os pra­zos de entrega.

Impor­tante tam­bém, é acer­tar os detal­h­es quan­to à aprovação do pro­je­to na prefeitu­ra. É o arquite­to quem dá entra­da nes­sa doc­u­men­tação jun­to aos órgãos com­pe­tentes, mas é o cliente quem assume essas despesas.

Peque­nas refor­mas que não ger­am aumen­to de área, como tro­ca de reves­ti­men­tos ou encana­men­to, não exigem aprovação da prefeitura.

Desen­volvi­men­to do projeto

1º — É apre­sen­ta­do um esboço ger­al com as infor­mações básicas.

2º — É prepara­do o antepro­je­to, que é um pouco mais detal­ha­do e con­tém o con­ceito estrutural.

3º — Pro­je­to legal para aprovação nos órgãos públi­cose o pré-exec­u­ti­vo, com os mate­ri­ais de acaba­men­to discriminados.

4º — Para ori­en­tar a con­strução, o cliente recebe o pro­je­to exec­u­ti­vo em cópias heli­ográ­fi­cas (pre­tas e azuis) ou plota­gens de computador.

OBS: Man­ten­ha as cópias dess­es desen­hos, incluin­do os pro­je­tos hidráuli­co e elétri­co é muito impor­tante, pois você poderá pre­cis­ar deles em futuras refor­mas ou pos­síveis reparos.

É impor­tante que você ten­ha uma escu­ta aten­ta para ouvir as ideias e opiniões do arquite­to, afi­nal, o profis­sion­al é ele.

Por exem­p­lo, se o arquite­to falar que deter­mi­na­da tin­ta ficará “hor­rív­el”, pense muito bem em não aceitar sua opinião, pois nesse caso, ele já está imag­i­nan­do você daqui a três anos, recla­man­do da cor escolhida.

O cam­in­ho para sua “Casa dos Son­hos” é ouvir o seu arquite­to e, mais impor­tante, faz­er ele enten­der o que você quer, con­ver­san­do tranquilamente.

Se ficou algu­ma dúvi­da, bas­ta me procu­rar. Pode ser aqui nos comen­tários, por email ou telefonando.

Será um praz­er lhe ajudar!

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WhatsApp chat